Muitas vezes pesquisamos sobre algum termo para entender melhor um assunto e só achamos textos confusos liberais e/ou queer, que não dialogam com o feminismo que buscamos construir, nem com a realidade das mulheres em geral. Aqui nesse glossário buscamos definir termos que são utilizados no feminismo, conforme aparecem nos nossos textos, por um viés feminista radical, para auxiliar na sua compreensão, da origem e da utilização de conceitos que muitas vezes ficam mal explicados nas discussões na internet.

Aborto masculino – ou aborto financeiro é o nome que masculinistas dão ao abandono masculino dos filhos e das suas responsabilidades com as crianças e as mães. Seu argumento é que se legalizarmos o aborto para as mulheres, temos que legalizar o “aborto masculino” também, senão não há “igualdade”. É importante ressaltar que a linguagem utilizada pelos masculinistas assume que os produtos da gravidez têm o mesmo status de uma criança, e chama o abandono dos filhos de “aborto masculino” por que, para eles, o que as mulheres que abortam fazem é o mesmo que abandonar e/ou matar crianças. Essa linguagem é reveladora da ideologia da supremacia masculina, e enquadra a questão do aborto de acordo com uma abordagem anti-feminista, misógina. Utilizando os termos que os masculinistas criam para descrever sua visão destorcida da realidade, nós mulheres só temos a perder. Rejeitar essa linguagem é rejeitar essa ideologia, e ao buscamos a libertação das mulheres, devemos buscar uma linguagem que permita discutirmos a condição feminina literalmente nos nossos termos, uma linguagem feminista radical.