Todos os dias eu acordo “mulher brasileira”, e é um inferno!

Temos aquele meme que explica toda a realidade do brasileiro: “every day I wake up brasileiro” (“todos os dias eu acordo brasileiro), mas diante da fala do Secretário da Saúde, onde ele “pede” para que as mulheres “adiem” a gravidez, talvez seja a hora de criar o meme “every day I wake up mulher brasileira” (todos os dias eu acordo mulher brasileira). 

como é o meme…
como deveria ser…

Não tá fácil ser mulher na pandemia, ser mulher brasileira na pandemia tá pior ainda. 

A exata fala do secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, foi: 

“Caso seja possível, postergar um pouco a gravidez, para um melhor momento, em que você possa ter a sua gravidez de forma mais tranquila”

Essa frase é um escárnio, uma piada às custas das vidas das mulheres que o Governo Bolsonaro insiste em desprezar. 

Temos leis rígidas anti-aborto, temos uma governo regido por uma absurda bancada evangélica, no qual seu sonho e plano de poder é instaurar um regime religioso aos moldes do que se tem em países dominados pelo Talibã. O governo que solta uma frase dessas é o mesmo governo que ano passado, 2020, exonerou dois funcionários do ministério da saúde por um parecer técnico sobre atendimento à saúde da mulher durante a pandemia. Esse parecer falava da importância de garantir acesso aos métodos contraceptivos e de orientar sobre eles,  sobre questões de mortalidade materna durante a pandemia e sobre o acesso ao aborto – que já é previsto por lei no Brasil. Era uma cartilha técnica, voltada para os profissionais da área da saúde – mas, para o governo Bolsonaro, era uma cartilha ideológica.

Não há interesse algum do governo em cuidar das mulheres, sejam elas mães, jovens adolescentes ou crianças. Damares moveu fundos e mundos para evitar que uma menina de 10 anos tivesse um aborto depois de sido estuprada e engravidada pelo tio. E esse foi apenas um caso mais famoso dentre diversos outros que ilustram os esforços dela contra mulheres e crianças. O projeto da ministra em ocupar os conselhos tutelares é exatamente para monitorar e impedir que meninas estupradas tenham acesso ao aborto legal. A secretária nacional ligada ao gabinete de Damares recebeu financiamento de grupos de extrema direita da Polônia, que fazem o lobby anti aborto.

A “educação sexual” que o governo Bolsonaro quis implementar é a ideia da abstinência sexual. Nesse governo, rejeita-se quaisquer tipos de protocolos embasados cientificamente – e que de fato são baseados em direitos humanos (afinal é essa a nomenclatura do ministério que Damares ocupa). Mas ninguém aqui, nesse ponto da pandemia, ainda acha que Bolsonaro se importa com dados, com ciências ou com direitos humanos. A fala desse secretário cara de pau não é a questão aqui, eu diria, depois de ter mostrado todo esse histórico, mas o que importa é escancarar um fato: o governo deliberadamente lava as mãos de ajudar, proteger e amparar as mulheres (futuras mães ou não), jogando a responsabilidade de cuidados médicos em cima de cada mulher individualmente. E isso é um plano de governo premeditado: quanto menos o governo ajuda essas mulheres, mais elas terão filhos de maneira não planejada e não intencional, e buscarão ajuda em outros locais, como igrejas e comunidades. Assim, muitas vão depender do assistencialismo, ter menos independência e buscar formas ilegais de controle de natalidade – como os abortos clandestinos, que levam mulheres à morte.

Para qualquer governo, é bom que as mulheres tenham filhos de maneira não planejada, pois além aumento da mão de obra e da força de trabalho, uma mulher com uma criança não planejada se submete a trabalhos informais e precarizados, e sabemos que a força de trabalho da mulher é muito importante para o capitalismo. 

A pandemia já está trazendo cenários terríveis para as mulheres, tanto no mundo quanto no Brasil, mas antes mesmo da pandemia se iniciar nosso governo já demonstrou que não se importa com mulheres. A nossa revolta não deve ser somente pelo absurdo das falas, mas devemos dia e noite pedir o impeachment desse governo misógino e irresponsável!


Todas as fontes estão linkadas no texto.




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *